Cultura Trans – Filmes

Espaço exclusivo para Cinefilia de paixão, todos que curti uma boa história, esse lugar usado para expor filmes de grandes diretores ou desconhecidos que ousaram falar de Transexualidade, propagando ainda mais mais possibilidades de filmes com abordagem, disponibilizo Trailler e contexto dos filmes, espero que todos curtam as dicas dos filmes, que compartilhe essa experiência maravilhosa.

Se tiver uma dúvida específica sobre o mundo trans, aqui é um bom lugar para buscar informação. Me escreva!

Um beijo,

Lindsay Lohanne

Não sou apenas uma Boneca, Sou mais que uma Boneca, sou o diferencial entre as que existem!

 

Transamerica (2005) – Direção: Duncan Tucker

TRANSAMERICA_1-1024x836

Bree Osbourne (Felicity Huffman) é uma orgulhosa transexual de Los Angeles, que economiza o quanto pode para fazer a última operação que a transformará definitivamente numa mulher. Um dia ela recebe um telefonema de Toby (Kevin Zegers), um jovem preso em Nova York que está à procura do pai.

 

 ________________________________________________________________________________________________

Minha Vida em Cor-de-Rosa (1997) – Direção: Alain Berliner

ma-vie-en-rose

 

Menino introspectivo causa grande comoção quando decide só se vestir e se comportar como menina. A situação cria uma grande confusão para familiares e causa estupefação nas pessoas que os cercam.

 ________________________________________________________________________________________________

Meninos Não Choram (1999) – Direção: Kimberly Peirce

meninos-não-choram

Saiba como Teena Brandon se tornou Brandon Teena e passou a reivindicar uma nova identidade, masculina, numa cidade rural de Falls City, Nebraska. Brandon inicialmente consegue criar uma imagem masculinizada de si mesma, se apaixonando pela garota com quem sai, Lana, e se tornando amigo de John e Tom. Entretanto, quando a identidade sexual de Brandon vem à público, a revelação ativa uma espiral crescente de violência na cidade.

 

 ________________________________________________________________________________________________

Tomboy (2011) – Direção: Céline Sciamma

tomboy-1024x573

 

“Tomboy” é a denominação dada para meninas que gostam de agir como meninos. Laure é uma menina de dez anos, que muda de casa constantemente, em decorrência do trabalho do pai. Ao ir para uma nova residência ainda nas férias, ela faz amizade com uma grande turma de garotos da vizinhança, mas se apresenta como Mikael. Isso faz com que ela se aproxime de Lisa, a única menina do grupo.

 

 ________________________________________________________________________________________________

XXY (2007) – Direção: Lucía Puenzo

XXY

 

Alex (Inés Efron) nasceu com ambas as características sexuais. Tentando fugir dos médicos que desejam corrigir a ambiguidade genital da criança, seus pais a levam para um vilarejo no Uruguai. Eles estão convencidos de que uma cirurgia deste tipo seria uma violência ao corpo de Alex e, com isso, vivem isolados numa casa nas dunas. Até que, um dia, a família recebe a visita de um casal de amigos, que leva consigo o filho adolescente. É quando Alex, que está com 15 anos, e o jovem, de 16, sentem-se atraídos um pelo outro.

 

________________________________________________________________________________________________

Má Educação (2004) – Direção: Pedro Almodóvar

mala-educacion1

Madri, 1980. Enrique Goded (Fele Martínez) é um cineasta que passa por um bloqueio criativo e está tendo problemas em elaborar um novo projeto. É quando se aproxima dele um ator que procura trabalho, se identificando como Ignacio Rodriguez (Gael García Bernal), que foi o amigo mais íntimo de Enrique e também o primeiro amor da sua vida, quando ainda eram garotos e estudavam no mesmo colégio.

 

________________________________________________________________________________________________

A pele que Habito (2011) – Direção: Pedro Almodóvar

a-pele-que-habito2O doutor Robert Ledgard (Antonio Bandeiras) é um notável cirurgião plástico, alimentado pela obsessão de recriar em laboratório uma espécie de pele humana, desde que sua esposa sofrera graves queimaduras após um acidente de carro. Atormentado pela morte da mulher Ledgard se mostra um homem inescrupuloso e não medirá esforços para colocar em prática seus experimentos para criar uma pele artificial para seres humanos. Posteriormente, acontece a morte da sua única filha, enferma mental aparentemente estuprada por um rapaz que acabara de conhecer, o que o faz buscar vingança, aprisionando-o em sua casa e fazendo dele sua cobaia.

________________________________________________________________________________________________

Olhe Pra Mim de Novo (2012) – Direção Kiko Goifma e Claudia Priscilla

207458268_640  Um road movie pelo sertão tendo como foco a diversidade humana – indo além da questão sexual. No início, entretanto, se dá espaço em demasia para a história de Luccio, relatando como uma mulher decide abandonar família e amigos para se assumir como homem, pois é somente assim que ela se identifica. Sua difícil relação com a mãe e com a filha – que deixou para os avós criarem – sua nova família com uma esposa, o comportamento no dia a dia, os tratamentos hormonais, o sexo, o tesão, o romance. Tudo é explorado com bastante propriedade, franqueza e esclarecimento. E essa parte é tão bem feita e envolvente que a quebra para partir para o objetivo original soa brusca e desnecessária. E esse é o maior problema do filme: uma mudança que não chega a se justificar, resultando no desperdício de uma oportunidade única e preciosa.

________________________________________________________________________________________________

Romeos (2011) – Direção Sabine Bernardi

tomeoPropõe um olhar invulgar sobre o tema dos transgéneros, e com humor e alguma ousadia procura quebrar convenções estabelecidas sobre estes indivíduos. É um filme sobre o amor, a amizade e um muito particular despertar sexual. Quando somos apresentados à Lukas (Rick Okon) o vemos em sua 25ª aplicação de testosterona. É um ritual que o aproxima daquilo que ele realmente é, já que Lukas nasceu com um corpo feminino embora se sinta um garoto. É sobre este desajuste e sobre as consequências disso para o olhar do outro e sobre si mesmo que trata Romeos, de Sabine Bernardi. E é a partir do momento em que é obrigado a trabalhar num alojamento feminino, que os conflitos aparecem, já que é complicado entender que desejos e que vontades estão no corpo e na mente de Lukas. O jovem terá que conviver com isso.

________________________________________________________________________________________________

Elvis e Madona (2011) – Direção Marcelo Laffitt

elvesElvis (Simone Spaladore) sonha em ser fotógrafa, mas a necessidade de sustento faz com que aceite o emprego de entregadora de pizza. Madona (Igor Cotrim) é uma travesti que trabalha como cabeleireira. Ela sonha em produzir um show de teatro de revista. Logo após conhecer Elvis, que é homossexual, conhecido pelo nickname “CLAUDIO”, elas se tornam grandes amigas. Mas, pouco a pouco, desperta nelas um sentimento mais forte que a mera amizade.

________________________________________________________________________________________________

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s